Círculos de fadas, misteriosos

Círculos de fadas misteriosos são 'verdadeiros' -  ScienceNOW.


                       Credit image, Mike and Ann Scott/Namib Rand Nature Reserve

Walter R. Tschinkel pode não ter  resolvido  o  mistério  dos  círculos  de  fadas,  mas  posso  dizer que eles estão vivos. São dezenas  de  milhares  de  manchas   no   solo,   de  2   a   12  metros  de diâmetro,  nas  pastagens  do  sul  da  Angola  ao  norte  da  África  do  Sul,   com  perímetros   muitas vezes marcado por uma franja da altura da grama. Os  moradores  dizem que são  as   pegadas  dos   deuses.   Cientistas   não     souberam    explicar.    Mas    agora   Tschinkel,    biólogo    da  Universidade  Estadual da  Flórida,  em  Tallahassee,    descobriu   algo   que   ninguém   mais   apresentou.


Tschinkel encontrou pela primeira vez os círculos em 2005, quando em  férias  na  NamibRand Nature Reserve , um parque natural privado dedicado à ecologia da conservação da vida selvagem local ao sudoeste da Namíbia, onde seu guia local apresentou-o às formas de terras estranhas. 

Segundo Tschinkel,  'Eu olhei para eles e disse, - obviamente, eles são causados ​​por cupins', lembra ele. Talvez os insetos foram matando a grama por baixo, ou talvez eles estavam emitindo gases que estavam envenenando a vegetação. Mas quando ele e sua esposa retornaram à região em 2007 e escavado um punhado de círculos de fadas, não encontraram nenhuma evidência de cupins. Fazendo experimentos nos círculos de fada com outros nutrientes essenciais, tais como o zinco  ou substituindo o solo dentro dos círculos com o solo do exterior para evitar que a vegetação crescesse para trás, sugerindo então que as formações não são o resultado de uma falta de nutrientes

Tschinkel passou a usar as imagens de satélite. Ao comparar as fotos tiradas ao longo de um período de 4 anos, confirmou algo que outros cientistas suspeitavam, os círculos estavam vivos ou pelo menos eram dinâmicos. Extrapolando a partir dos dados, calculou que os círculos menores surgem e desaparecem a cada 24 anos, enquanto que os maiores podem durar até 75 anos. No geral, a vida útil média é de 41 anos. 
No futuro, Tschinkel espera voltar à região para realizar testes em diferentes épocas do ano, uma vez que alguns de seus dados indicam que os círculos tendem a se formar após o períodos chuvosos.  Reconhece que pode nunca explicar perfeitamente o que faz com que os círculos de fadas aconteçam. Durante uma viagem recente, um conservacionista local disse a Tschinkel que ele supõe que os círculos de fadas permanecem um mistério para os próximos anos. 'Eu certamente posso simpatizar com esse sentimento' diz Tschinkel, 'mas isso não significa que eu vou parar de tentar entender.'
Leia na íntegra em,
Crédito, Science, ScienceNOW  on 27 June 2012.

Comentários

Postagens mais visitadas