Robôs humanoides

Robôs humanóides são preparados para feiras e convenções.
Barcelona - Espanha -, 19 de ago - EFE -
Eles não têm o sorriso de uma atendente, mas aos poucos os robôs humanóides como o Reem, um protótipo desenvolvido pela catalã Pal Robotics, serão frequentes em feiras, congressos e, até em hospitais. Dotado de dois braços articulados e motorizados, Reem conta com uma tela sensível ao toque em seu tronco, onde é possível selecionar um dos mais de 30 idiomas nos quais a máquina pode se dirigir ao usuário, que pode ser tratado de forma personalizada graças a seu sistema de detecção e reconhecimento de rostos.
O robô conta com visão periférica, microfones e sensores que lhe permitem movimentar-se de forma autônoma, sem cabos ou ação humana. Reem é capaz de criar um mapa, se localizar e se deslocar por um ambiente sem se perder. Por enquanto, a máquina ainda é um protótipo, mas a Pal Robotics quer começar a produzi-lo industrialmente para venda comercial até o final de ano e já tem pedidos de feiras e congressos de Emirados Árabes, para servir como guia, como informa Francesco Ferro, diretor-executivo da empresa. Além disso, o humanóide é capaz de levar em consideração as perguntas que já foram feitas a ele para dar respostas mais adequadas às dúvidas dos usuários. Segundo ele, as atuais atendentes de congressos e feiras não precisam temer pelos seus empregos, já que elas oferecem um tratamento e uma atenção mais humana que o robô não pode dar.


Crédito: EFE Brasil

Comentários

Postagens mais visitadas