Pesquisa Para Clonar Mamute

Um mamute preservado em um permafrost¹ na Sibéria poderia ter uma geração de descendentes andando pela Terra novamente.


¹ 'O permafrost ou pergelissolo, em língua portuguesa, é o tipo de solo encontrado na região do Ártico.
É constituído por terra, gelo e rochas permanentemente congelados. Esta camada é recoberta por uma camada de gelo e neve que, se no inverno chega a atingir 300 metros de profundidade em alguns locais, ao se derreter no verão, reduz-se para de 0,5 a 2 metros, tornando a superfície do solo pantanosa, uma vez que as águas não são absorvidas pelo solo congelado.'
Credit, Wikipédia.


Foto,  Dom Escobar.

O Mamute, foi extinto há 4.500 anos e cientistas buscam material genético para clonagem.
Na Iakútia², uma das repúblicas da Federação Russa, um fêmur encontrado, provavelmente de mamute, com a medula bem preservada, poderá ser utilizado para coleta de material genético para clonagem.


República da Iakútia.

² 'A República da Iakútia, Iacútia ou do Iacuto, é uma república que constitui uma divisão da Federação Russa. Ocupa a metade da área do Distrito Federal Oriental, sendo o maior estatóide do mundo com 3.103.200 km², ocupando três fusos horários e indo até o Oceano Ártico. É escassamente povoada, assim como o resto da Sibéria. A população da república, segundo o senso de 2002, era de 949.280 habitantes. Cerca de 40% da área da república está ao norte do Círculo Polar Ártico e está coberta de permafrost
Sua capital é Yakutsk. Na região há um Parque Pleistoceno que recria a tundra com sua vegetação típica cujo crescimento é estimulado pela presença de animais que teriam vivido ali ao final do Pleistoceno no início do Holoceno.'
Credit, Wikipédia.


Cientistas russos e sul-coreanos, através de acordo de cooperação científica assinado em Seul, capital da Coréia do Sul, pretendem clonar um mamute, avisando, contudo, que isso será possível dentro de, aproximadamente, dez anos.

O material genético fornecerá núcleos de células intactas que serão introduzidos no óvulo de uma elefanta para obter embriões com o DNA de mamute. 
A seguir, os embriões serão colocados no útero de uma elefanta, já que o mamute e o elefante são espécies aparentadas.

O acordo foi assinado entre a Universidade Federal do Nordeste da República da Iakútia, e a Fundação Sooam de Pesquisa em Biotecnologia, da Coreia do Sul.

Recordando, a fundação Sooam foi a pioneira quando, em 2005, clonou um cão . No entanto, em 2006, o cientista sul-coreano Hwang Woo-souk foi acusado de falsificar testes científicos para confirmar teorias avançadas sobre clonagem humana.



Comentários

Postagens mais visitadas