Titanoboa


Titanoboa, Titanoboa cerrejonensis, foi a maior serpente que já habitou nosso planeta.
Viveu há cerca de 60 milhões de anos, no período Paleoceno, nas florestas tropicais da América do Sul.

Trata-se da única espécie incluída no gênero Titanoboa.
Através da comparação do tamanho e forma das suas vértebras fossilizadas com aquelas das cobras atuais, os investigadores estimam que medisse cerca de 13 a 15  metros de comprimento, 1,1 metros de diâmetro e pesasse cerca de 1 100 kg, o que faz desta a maior espécie de serpente descoberta.

Foram encontrados fósseis de 28 indivíduos desta espécie nas minas de carvão de Cerrejón, Colômbia no início de 2009. Antes desta descoberta eram poucos os fósseis de vertebrados deste período descobertos nos antigos ambientes tropicais da América do Sul.
Esta serpente foi descoberta durante uma expedição científica internacional liderada por Jonathan Bloch, um paleontólogo especialista em vertebrados da Universidade da Flórida e por Carlos Jaramillo, um paleobotânico do Smithsonian Tropical Research Institute do Panamá.
Réplica da Titanoboa com mais de 14,5 m de comprimento foi exposta, nesta sexta-feira,  na  Estação Grand Central de Nova York.

Como a dimensão das serpentes e de outros animais de sangue frio depende da temperatura de seu habitat, os cientistas que analisaram os fósseis da Titanoboa determinaram que o réptil necessitava uma temperatura média anual de entre 30 e 34 graus centígrados para sobreviver.

Reino, Animalia
Filo, Chordata
Subfilo, Vertebrata
Classe, Reptilia
Ordem, Squamata
Subordem, Serpentes
Família, Boidae
Subfamília, Boinae
Gênero, Titanoboa
Espécie,  Titanoboa cerrejonensis



Comentários

Postagens mais visitadas