Curiosity contaminará amostras de Marte

Robô Curiosity vai contaminar amostras de Marte.

                                                              Credit image, NASA/JPL-Caltech 
Apesar dos testes e cuidados durante muitos anos, a possibilidade de contaminação das amostras pelo próprio robô só foi descoberta quando ele já estava a caminho de Marte.
A NASA anunciou que as amostras analisadas nos laboratórios de bordo do Curiosity poderão ficar contaminadas com partículas de Teflon do próprio equipamento de perfuração e trituração.

O nome oficial do robô é MSL - Mars Science Laboratory -, Laboratório Científico de Marte, em razão dos oito diferentes equipamentos de análises que se encontram a bordo. 
A ideia é que todas as análises sejam realizadas no momento da coleta, e apenas os resultados enviados para a Terra.

Somente agora a NASA descobriu que o equipamento pode liberar pequenas partículas de teflon, o mesmo material usado nas panelas anti-aderentes. 
No MSL, o teflon é usado na ferramenta de perfuração como vedante.

Ocorre que o teflon tem na sua composição cerca de dois terços de carbono, que é o elemento procurado pelos cientistas e que sinalizará possíveis indícios de vida em Marte.
A possibilidade de contaminação foi descoberta quando a equipe fazia testes com a réplica do robô, que está nos laboratórios da agência espacial.

A equipe da NASA tentará encontrar maneiras de isolar o carbono contaminante de algum carbono autenticamente marciano, mas eles só conseguirão avaliar totalmente o problema quando o Curiosity pousar em Marte, o que está previsto para ocorrer no dia 6 de agosto próximo.

FONTES, NASA | Inovação Tecnológica.

Comentários

Postagens mais visitadas