Nove agravantes de alergias respiratórias


                                                                                                               Crédito da imagem, Minha Vida.

POR LETÍCIA GONÇALVES - PUBLICADO EM 07/05/2012.

O Dia Nacional de Prevenção à Alergia, no dia 7 de maio, vem junto com a chegada dos meses mais frios do ano. Mas não é mera coincidência. Nas estações do outono e inverno, há um aumento considerável na incidência das alergias respiratórias. Dados da Associação Brasileira de Alergia e Imunopatologia - ASBAI - indicam que 30% dos brasileiros possuem algum tipo de reação alérgica, sendo que rinite, bronquite e asma são predominantes nesta época do ano.

Segundo o International Study of Asthma and Allergies - ISAAC -, a rinite alérgica atinge 26% das crianças e 30% dos adolescentes brasileiros, enquanto a asma atinge 10% da população do país. Para prevenir crises, é importante estar em dia com o tratamento médico e evitar fatores agravantes que tendem a irritar os órgãos envolvidos na respiração. A seguir, especialistas listam os principais deles e dão dicas de como combatê-los.

Alterações de temperatura

As variações de calor para frio ou vice-versa podem causar irritações nas vias respiratórias e demais órgãos. 'No caso da asma, por exemplo, essa mudança brusca irrita os brônquios, que se contraem como resposta, o que faz com que a pessoa sinta falta de ar', explica o pneumologista Élcio Vianna, presidente da Comissão de Asma da Sociedade Paulista de Pneumologia e Tisiologia. 


Para amenizar esse efeito, o mais importante é evitar a respiração do ar frio. 'Agasalhar ajuda, mas a inalação é o que é mais perigoso', alerta o médico. O ideal é evitar fazer atividades ao ar livre em horários muitos frios, como no período da noite, no inverno.

Outros Fatores

Fortes emoções, produtos químicos, infecções virais, pólen, animais com pelos e penas, exercícios físicos intensos, ácaros, tabagismo.

Leia toda a notícia em,

Comentários

Postagens mais visitadas