Explosão Solar


A NASA, em abril último, divulgou imagens de uma das mais impressionantes explosões solares dos últimos anos. Segundo a agência espacial, campos magnéticos da parte nordeste do Sol explodiram formando um jato de plasma brilhante.
FotoNASA/GSFC/SDO. 


Veja a animação da NASA mostrando o Sol emitindo energia magnética através de uma explosão gigante, chamada de ejeção de massa coronal. Mostra ainda a Terra sendo protegida contra esta radiação pelo seu poderoso campo magnético.


 
Publicado em 19/06/2012 por NASAexplorer.

O Sol também recebe continuamente 'chuviscos' da Terra com luz e energia da radiação. Grande parte da energia solar é desviada pela atmosfera da Terra ou refletida para o espaço pelas nuvens, gelo e neve. 
O resultado significa a energia que impulsiona o sistema Terra, alimentando um motor notável do planeta, - o clima.
A irregularidade deste aquecimento solar, os ciclos do dia e da noite, e as nossas estações, fazem parte de um conjunto de fatores que causa as correntes de vento que circulam em torno do planeta. Observamos nesta animação, os ventos e as correntes superficiais oceânicas, que fluem ao largo da costa da Flórida.
Modelos utilizados, 
- a montagem deste vídeo, pela primeira vez, é o resultado de uma série de modelos de computador. 
A visão do Sol e do campo magnético da Terra, vem do modelo magnético de Luhmann-Friesen e de dois modelos com os dados da ejeção de massa real coronal do Sol em dezembro de 2006. 
NASA's Community Coordinated Modeling Center - CCMC -, no Goddard Space Flight Center, uma parceria multi-agência que fornece informações sobre o clima espacial para a comunidade científica internacional, gerou esses dois modelos. 
O modelo de Enlil é um tempo-dependente, um modelo magnetohidrodinâmico 3-D da heliosfera e mostra as mudanças nos fluxos de partículas e campos magnéticos
O modelo BATS-R-US usa as medições de densidade do vento solar, velocidade, temperatura e campo magnético por intermédio do NASA's Advanced Composition Explorer - ACE - satellite, que foi lançado em agosto de 1997 e o Solar Terrestrial Relations Observatory - STEREO -, dois satélites que veem  a estrutura e a evolução da energia emitida pelas tempestades solares. 
A visão da atmosfera da Terra vem da Análise Retrospectiva Era-moderna de Pesquisa e Aplicações - MERRA -, um modelo de computador que usa dados do Earth Observing Goddard uma versão do Sistema de Dados do Sistema Assimilação 5 - GEOS-5 -  e incorpora as informações recolhidas a partir de estações terrestres, satélites operacionais e da frota de satélites da NASA Earth Observing. O modelo para o oceano é a estimativa da Circulação e do Clima do Oceano, fase II - ECCO2 -, um projeto conjunto do Instituto de Tecnologia de Massachusetts, Cambridge, Massachusetts e do Laboratório de Propulsão a Jato da NASA, em Pasadena, Ca. 

Comentários

Postagens mais visitadas