Vesta e Ceres


Vesta e Ceres.
Pode-se identificar os dois objetos mais brilhantes no cinturão de asteroides neste mês de outubro. Tanto Ceres quanto Vesta são encontrados, perto de Júpiter, entre as estrelas das constelações de Touro e Gêmeos.
Neste mês Júpiter está brilhante e os dois objetos brilham numa magnitude de 7 e 8.
Clique nas imagens para vê-las em tamanho maior.

A sonda Dawn completou sua última órbita ao redor de Vesta em setembro, após mais de um ano de 'prospecção'. Agora Dawn está a caminho de Ceres e chegará no novo destino em fevereiro de 2015.











Um terceiro asteroide, Pallas, também é visível através de telescópios no céu à sudeste este mês.

...e, chuvas de meteoros embelezam o céu de outubro.

Informações adicionais sobre Vesta e Ceres:
'- Mais da metade da massa total do cinturão de asteroides está contida nos quatro objetos de maior tamanho, - Ceres, o maior, Vesta, Pallas e Hígia.

Vesta, designado formalmente 4Vesta, era o segundo maior asteroide do sistema solar, com um diâmetro médio de 530 km, até ser promovido a protoplaneta em maio de 2012. Foi descoberto por Heinrich Wilhelm Olbers em 29 de março de 1807.
Em 16 de julho de 2011, a sonda da NASA, Dawn, entrou em órbita ao redor de Vesta para uma exploração de um ano. A Dawn deixou Vesta para 'trás' em 4 de setembro de 2012 para viajar a Ceres.


 Deslizamentos de terra na cratera Marcia. Cratera de  
58 km de diâmetro, perto do equador de Vesta.

Ceres, o único planeta anão do cinturão, possui um diâmetro de 950 km e tem o dobro do tamanho do segundo maior, Vesta. Contudo, a maioria dos corpos que compõem o cinturão são muito menores. 
Apenas para ilustrar, o material do cinturão, - apenas cerca de 4% da massa da Lua -, encontra-se disperso por todo o volume da órbita, pelo qual seria muito difícil atravessá-lo sem haver choque com um destes objetos. Porém, dois asteroides de grande tamanho podem chocar-se entre si, formando o que é conhecido como "famílias de asteroides", que possuem composições e características similares. As colisões também produzem uma poeira que é o maior componente da luz zodiacal¹.'

'Ceres é um planeta anão que se encontra no cinturão de asteroides, entre Marte e Júpiter. Tem um diâmetro de cerca de 950 km e é o corpo mais maciço dessa região, contendo cerca de um terço do total da massa do cinturão.'
'Apesar de ser um corpo celeste relativamente próximo da Terra, pouco se sabe sobre Ceres. A sua superfície é algo enigmático, - em imagens de 1995, via-se um provável grande ponto negro que seria uma enorme cratera; em 2003, novas imagens apontaram para a existência de um ponto branco com origem desconhecida, não se conseguindo visualizar a cratera inicial.'

'Quando foi descoberto, Ceres foi considerado um planeta, mas após a descoberta de corpos celestes semelhantes na mesma área do sistema solar, foi reclassificado como um asteroide por mais de 150 anos.'


'No início do século XXI, novas observações mostraram que Ceres é um planeta embrionário com estrutura e composição muito diferentes das dos asteroides comuns e que permaneceu intacto provavelmente desde a sua formação, há mais de 4,6 bilhões de anos. Pouco tempo depois, foi reclassificado como planeta anão. Pensava-se, também, que Ceres fosse o corpo principal da "família Ceres de asteroides". Contudo, Ceres mostrou-se pouco aparentado com o seu próprio grupo, inclusive em termos físicos. A esse grupo é agora dado o nome de família Gefion de asteroides.'

Na imagem abaixo, o sistema solar interior e a posição orbital de Ceres.



Para saber mais sobre a sonda Dawn e todas as missões da NASA, clique na imagem ao lado.


¹luz zodiacal é um feixe de luz fraca, quase triangular,  visto  no  céu                 noturno e que se estende ao longo do plano da eclíptica, onde estão as constelações do Zodíaco. Cobre completamente o céu, mas só é perceptível no plano da eclíptica e é responsável por 60% da luz natural em uma noite sem Lua.
Ver o halo de luz zodiacal nem sempre é fácil. É preciso escolher bem o momento da observação. Como o brilho se estende ao longo de toda a eclíptica, é melhor observável quando ele se levanta acima do horizonte, o que depende da estação.


Assista ao vídeo,
O que há em outubro de 2012




PUBLICADO EM 10/09/2012 POR JPLnews.

[Imagem do cinturão de asteroides, - artist concept of a narrow asteroid belt orbiting a star,NASA/JPL-Caltech]
[Imagem da sonda Dawn, - artist concept, William K. Hartmann / UCLA]
[Imagem da cratera Marcia, Vesta, -  Credits, NASA/JPL-Caltech/UCLA/MPS/DLR/IDA]
[Imagem da estrutura de Ceres, - Credit, NASA, ESA, and A. Feild (STScI)]
[Credit, NASA/JPL-Caltech]

Comentários

Postagens mais visitadas