Janelas Partidas

Fixing Broken Windows: Restoring Order and Reducing Crime in Our Communities, de George L. Kelling e Catherine Coles.

Livro de criminologia e sociologia urbana publicado em 1996, sobre crime e estratégias para o conte-lo ou elimina-lo dos ambientes urbanos.O livro teve origem em artigo com o título "Broken Windows", de James Q. Wilson e George L. Kelling, pubilicado em 1982 no The Atlantic Monthly.


O título "Broken Windows" provém de alguns exemplos como:
'Considere-se um edifício com algumas janelas quebradas. Se as janelas não são reparadas, a tendência é de que vândalos quebrem mais janelas. Eventualmente, poderão entrar no edifício, e se este estiver desocupado, tornam-se ocupantes ou o incendeiam.
Outro exemplo. Considere-se uma praça. Algum lixo acumula-se. Depois, mais lixo é depositado. Eventualmente, as pessoas começam a deixar sacos de lixo.'
Uma estratégia de êxito para prevenir o vandalismo, dizem os autores do estudo, é resolver os problemas enquanto são pequenos. Reparando as janelas quebradas, dizem os autores, os vândalos terão menos probabilidade de estragar mais. Limpando os passeios, a tendência será de o lixo não acumular.
A teoria faz duas afirmações principais: - o crime de pequena escala ou comportamento anti-social reduz-se e, como resultado, - previne-se o crime de grande escala. A principal crítica desta teoria é esta última afirmação, que considera como não provada.
Reparar ou consertar janelas servem como metáforas e a ideia se aplica quando, por exemplo, limpando-se ruas sempre que estiverem sujas, preveni-se problemas no escoamento das chuvas, evita-se poças e, assim, o aparecimento de doenças.
O cuidado com os espaços tendem, na teoria, a reprimir ou reduzir aqueles crimes de pequena escala ou comportamentos anti-sociais, com o objetivo final de prevenir os atos criminosos de grande escala.


[Fontes, Wikipédia | Let's see].

Comentários

Postagens mais visitadas